banner_woc4

Inscrições abertas!

A Universidade de Évora (LabOr, ICAAM), o Global Owl Project e os parceiros SPEA (BirdLife Portugal), STRI (ALDEIA) e International Owl Center, têm o prazer de o/a convidar para a quinta edição do World Owl Conference, que irá realizar-se na Universidade de Évora nos dias 26 a 30 de Setembro de 2017.

.

O STRI – Rapinas Nocturnas de Portugal – é um projecto da Associação ALDEIA que foi apresentado ao público no dia 8 de Maio de 2012 e pretende reunir informação diversa sobre as aves de rapina nocturnas existentes em Portugal.

Estas aves sempre estiveram ligadas ao mais estranho folclore. Pouco conhecido da maioria das pessoas, é, no entanto, um grupo fascinante de aves que exerce uma atracção especial, em todos os que procuram conhecê-lo melhor.

asio-otus

Não pretendemos retirar o mistério  a estas aves. Ao reunir informação sobre as espécies existentes no território nacional, esperamos que um cada vez maior número de pessoas tenha consciência da sua importância e que contribua, através de um melhor conhecimento das espécies, para a promoção e conservação das mesmas.

Desta forma, o que lhe propomos é que, ao ouvir o canto de uma coruja-do-mato, numa daquelas noites quentes de Primavera, não pense na lenga-lenga que fala de azar, mas, sim, que pode estar muito próximo de ter a sorte de ver uma.

• STRI – Rapinas Nocturnas de Portugal (Comunicado/PDF)

• Colaboradores permanentes:

Artur Vaz Oliveira; Carla Ferreira; Carla Major; Célia Gomes; Daniela Costa; Eduardo Cardoso; Fábia Azevedo; Lúcia Lopes; Nuno Mota; Paulo Alves; Pedro Marques; Raquel Silva; Ricardo Brandão (coordenador); Sandra Oliveira; Thijs Valkenburg.

.

• • •

Parceiros

• CERVAS – Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens

O CERVAS é uma estrutura que pertence ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) / Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE) e que se encontra actualmente sob a gestão da Associação ALDEIA com o apoio da ANA – Aeroportos de Portugal e outros parceiros. O centro tem como objectivos detectar e solucionar diversos problemas associados à conservação e gestão das populações de animais selvagens e dos seus habitats. As linhas de acção do CERVAS são a recuperação de animais selvagens feridos ou debilitados, o apoio e/ou a realização de trabalhos de monitorização ecológica e sanitária das populações de animais selvagens, o apoio e fomento à aplicação do Programa Antídoto – Portugal, a promoção da sensibilização ambiental em matéria de conservação e gestão dos animais selvagens e o funcionamento como unidade intermédia de gestão e transferência de informação e amostras tratadas através de parcerias científicas.

• RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens

O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão, na Quinta de Marim.

Funcionando como um hospital de fauna selvagem, o trabalho do RIAS consiste na recepção e tratamento de animais que são encontrados feridos ou debilitados e posterior libertação, sempre que possível, no local onde foram encontrados. Além destes, também a recepção de animais mortos de espécies prioritárias é importante, para tentar perceber as causas de morte e, assim, determinar factores de risco para as populações selvagens.

Se o trabalho de recuperação tem um impacto imediato no bem-estar e sobrevivência de cada animal que passa pelo RIAS, esse trabalho, associado à investigação e a educação ambiental e sensibilização da comunidade, em particular as gerações mais novas, poderá ter um impacto global na conservação de populações e espécies de animais selvagens, não só na Ria Formosa, como em todo o país.

• Erithacus – Biodiversidade & Desenvolvimento Sustentável, Unipessoal Lda.

A Erithacus é uma empresa de consultoria e investigação, responsável por realizar trabalhos técnicos de monitorização ambiental, em particular estudos faunísticos, e acções de sensibilização, educação ambiental e científica, com elaboração de material para divulgação dos valores naturais nacionais.

Principal campo de interesse: Valorização de áreas rurais, com envolvimento das comunidades locais, através da divulgação, e consequente protecção, do património natural.

• GTAN/SPEA – Grupo de Trabalho sobre Aves Noturnas

O Grupo de Trabalho sobre Aves Noturnas (GTAN) surgiu em 2007 do interesse de alguns sócios da SPEA com um gosto especial por este grupo de aves. O seu intuito é ajudar a promover o estudo e conservação dos Strigiformes (mochos e corujas) e dos Caprimulgiformes (noitibós) em Portugal.

• LabOr – Laboratório de Ornitologia da Universidade de Évora

Como principais objectivos, o LabOr promove e realiza estudos técnico-científicos e actividades pedagógicas na área da Ornitologia e Biologia da Conservação através de:

1. Projectos de I&DT e prestação de serviços ao exterior;
2. Actividades de formação universitária e profissionalizante (teses de mestrado, doutoramento e apoio em pós-graduações);
3. Projectos no âmbito de Unidades Curriculares de formações de 1.º e 2.º Ciclos universitários de acordo com o processo de Bolonha;
4. Acções de divulgação e difusão da cultura científica na área da Ornitologia;
5. Produção de elementos didácticos de apoio aos ensinos.

.

• • •

Agradecimentos

logoAATUC – Associação dos Antigos Tunos da Universidade de Coimbra; Açores / Secretaria Regional da Educação e Cultura – Direcção Regional da Cultura; Adriana T Candeias; Aid Nature; Alexandre Roulin; Alexandre Vaz; Altri; Álvaro Carvalho; Álvaro Nunes; Ana Paula Guimarães; André Aguiar; António A. Gonçalves; Apenas Livros; Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira; Bafari – Associação Científica para a Conservação das Aves de Rapina; Brinzal; Câmara Municipal de Arouca; Câmara Municipal de Coruche / Museu Municipal de Coruche; Câmara Municipal de Évora; Câmara Municipal de Faro; Câmara Municipal de Lousada; Câmara Municipal de Portalegre; Câmara Municipal de Sintra / Departamento de Cultura, Juventude e Desporto e Biblioteca Municipal de Sintra; Câmara Municipal do Porto; Carlos Barros; Carlos Patrício; CEAO; Centro Ernesto Soares de Iconografia e Simbólica; Clara Grilo; Compadres / SPIRA; Francisco Queiroz; Conceição Canas; Daniel Carvalho; Davina Falcão; Diogo Guerra; Editora Escrivaninha; Faraújo Fernando; Fernanda Frazão; Fernando Correia; Filipa Soares; Gonçalo Elias; Gonçalo Gil Mata; Heimo Mikkola; Helena Rio Maior; Hugo Barata; Humberto Ferreira / Outeiro Seco – AQI, A Quem Interesse; Inês Roque; Inês Sequeira; Jeff Martin; Joana Bruno; João Alves; João Rodrigues; Joaquim Prioste; Jorge Saraiva; José Bento; José da Silva Lima; José Diogo; José Luís Conceição; José M. Flores Gomes; José Teixeira; Lord Hurk; Luís Gordinho; Madeira – Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura; Magnus Robb; Manuel J. Gandra; Margarida Leal; Margarida Loureiro; Maria Beatriz Mendes; Maria Ondina de Oliveira Pinto Monteiro; Mário Duarte / Parente de Refóias; Mathew Stritch; Mónia Nakamura; Museu Municipal da Póvoa de Varzim; Nadine Pires; Natália Cardoso; Nuno Sequeira; Nuno Ventinhas; Nuno Xavier; Patrícia Monteiro; Paulo Lawson; Pedro Ramalho; Pedro Sepúlveda; Pedro Serafim; Priscilla Esclarski; Ricardo Tomé; Rosa Xavier; Rui Arimateia; Rui Filipe; Rui Lourenço; Rui Pereira; Samantha Haddock; Santos Costa; Selson Garutti; Soares Teodoro; TAUC – Tuna Académica da Universidade de Coimbra; Terras Quentes – Associação de Defesa do Património Arqueológico do Concelho de Macedo de Cavaleiros; Tiago Rodrigues; Tolentino Cabo; Vera Calado..